WANTED - Web Designer e Postador
Acede à aba Contactos e vê o que deves fazer para te candidatares.

WANTED - Web Designer e Postador
Acede à aba Contactos e vê o que deves fazer para te candidatares.

WANTED - Web Designer e Postador
Acede à aba Contactos e vê o que deves fazer para te candidatares.



EM BREVE NOVAS POSTAGENS.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Sabre de Cavalaria do General Grant

Sabre de Cavalaria do General Grant

Esta arma pode ser ganha em Caixas revestidas a aço, Cofres vistosos, Cofres únicos ou em Cofres Premium que podes comprar na Shop por 175200500 e 1500 títulos/pepitas respectivamente. Havendo também a possibilidade de se comprar no mercado a um preço de (+/-) $200.000

Vê aqui o post sobre a vida e história do General Grant

domingo, 9 de setembro de 2012

General Grant



General Grant

Ulysses Simpson Grant, era assim o nome do político e militar, general dos exércitos dos E.U.A., comandante das tropas federais ou nortistas, durante a Guerra Civil dos Estados Unidos. Foi o 18º presidente dos Estados Unidos, entre 1869 e 1876. Como presidente, levou os republicanos radicais a eliminar todos os vestígios de nacionalismo confederado e escravidão. Foi ele quem destruiu a Ku Klux Klan, em 1871. A sua reputação foi manchada pela sua defesa repetitiva de nomeados corruptos e pela profunda depressão económica (o "Pânico de 1873"), que dominou o seu segundo mandato.

Hiram Ulysses Grant (nome de nascença) nasceu em Point Pleasant, Ohio, a 27 de Abril de 1822. O seu pai, Jesse Root Grant, era um empresário de ascendência inglesa vindo de uma família severa, e, a sua mãe, Hannah Simpson Grant, foi ancestral de escoceses, ambos eram nativos da Pensilvânia. No Outono de 1823, a família mudou-se para a vila de Georgetown no Condado de Brown em Ohio. Grant foi criado numa família metodista desprovida de pretensão religiosa, Grant rezava em particular e não era um membro oficial da Igreja. Ao contrário dos seus irmãos mais novos, Grant não foi disciplinado, batizado nem forçado a ir à Igreja pelos seus pais.

Antes da Guerra Civil era casado com Julia Dent Grant, Grant formou-se em Direito no West Point e participou na Guerra Mexicano-Americana sob o comando dos generais Zachary Taylor e Winfield Scott.

Grant questionava as bases morais da invasão, nas suas memórias qualifica a guerra como "uma das mais injustas e jamais movidas por uma nação mais forte contra uma mais fraca". No entanto, serviu com distinção sendo brevetado duas vezes pela sua coragem.

Após a guerra, foi transferido para a Califórnia, sem condições financeiras que lhe permitissem levar a família consigo. Pediu baixa em 1853, segundo rumores da época, para evitar que fosse levado à Corte Marcial (concelho de guerra) por estar alcoolizado em serviço. Histórias sobre alcoolismo acompanharam Grant pelo resto da vida. Na vida civil, tentou diversos empreendimentos, mas nenhum teve sucesso. Nas vésperas da Guerra da Secessão, Grant trabalhava na loja de couro do seu pai em Illinois.

Com o início da Guerra da Secessão, Grant aceitou o convite para treinar voluntários do estado, mas depois conseguiu o comando de um regimento, com a patente de coronel. Graças ao lobby de congressista Elihu Washburne, foi promovido a General da Brigada, assumindo o comando do crítico distrito militar sul-este de Missouri.

A sua primeira participação numa batalha foi na cidade de Paducah, no rio Ohio, em Novembro de 1861.
Em Fevereiro de 1862, apoiado pela esquadrilha do almirante Foote, levou os estratégicos fortes Henry e Donelson.

Em Abril de 1862, na Batalha de Shiloh ocorreu uma das actuações mais polémicas do General Grant, que deixou o seu Exército do Tenesse ser emboscado, sem defesas preparadas. O Exército do Mississippi, sob o comando do General Confederado Albert Sidney Johnston, levou as tropas federais à morte. A oportuna chegada do Exército Federal de Ohio, sob o comando do Gal. Buell, aliada ao sangue frio de Grant, inverteu a situação e a União acabou vencedora. Não obstante, em função do desastroso primeiro dia da batalha, a opinião publica pedia a sua remoção. Mas, Lincoln, farto de comandantes hesitantes, resolveu manter o agressivo Grant no cargo. Por alguns meses, Gal. Halleck, desconfiado do suposto alcoolismo de Grant, tomou o comando pessoal das operações no Oeste.

De maio a Julho de 1863, Grant cercou Vicksburg, o último bastião confederado no Mississippi. A queda da cidade significou a rendição de mais de 30.000 soldados rebeldes e definitivamente dividiu a confederação em dois. Em Novembro, impôs outra derrota em Chattanooga aos condeferados.

Depois desse feito, Lincoln, promove-o a Comandante-Chefe de todas as forças federais em Março de 1864. Grant assumiu o controlo direto das forças no teatro leste. A partir desse momento, o comandante confederado, Lee, teria os federais no seu encalço contínuo. A famosa Campanha Overland de Grant transformou os combates do Leste numa sangrenta guerra de atrito, com enormes perdas para ambos os lados. Ao mesmo tempo, William T. Sherman, que sucedeu Grant como comandante dos exércitos do Oeste, invadiu a cidade de Atlanta e empreendeu a sua famosa marcha até ao mar, destruindo as plantações e a indústria da Georgia.

Ao contrário da União, com abundância em recursos, a Confederação não tinha como repor as enormes perdas em recursos humanos e materiais. Lee foi forçado a uma posição insustentável em Petersburg, cuja queda implicou a evacuação da capital confederada, Richmond. Finalmente, a 9 de Abril de 1865, em Appomattox, Lee rendeu-se. Os termos de rendição oferecidos por Grant foram generosos e o tratamento oferecido às forças derrotadas foi digno de soldados. Até ao fim da sua vida, Lee não permitiu que se falasse mal de Grant em sua presença.

No seu tempo, e ainda hoje, Grant tem sofrido críticas pelas enormes baixas sofridas por suas tropas em batalhas. Uma notável difamadora era a primeira dama dos EUA, Mary Lincoln, que se referiu ao general como "carniceiro". Em defesa de Grant, poderia dizer-se que, comparado aos seus antecessores excessivamente prudentes, conseguiu resultados muito superiores em proporão às baixas sofridas. Grant e Lincoln entendiam muito bem que a guerra mais custosa em vidas era a guerra longa. Numa época de péssimas condições sanitárias e medicina incipiente, manter grandes exércitos mobilizados significava aceitar um enorme número de mortes em função de moléstias. Dos 360.000 "yankees" mortos no conflito, menos de um terço morreu de ferimentos em batalha. Os demais caíram pela varicela, papeira, sarampo e outras doenças. Forçando Lee a aceitar combate mesmo antes de conseguir condições tácticas perfeitas, Grant teria posto fim ao adiamento que custou milhares de vidas. O reconhecimento disso veio do próprio Lee, que antes da Batalha de Spotsylvania, contrariou as críticas dos seus subordinados ao comandante oponente dizendo "Penso que Gal. Grant tem cumprido a sua função notavelmente bem até agora".

Grant foi eleito presidente dos EUA em 1869, e permaneceu nesta posição até 1877. Como chefe da nação, coordenou a última fase da reconstrução do sul. Promoveu activamente os direitos dos ex-escravos, utilizando forças federais para assegurar o direito ao voto e combater as acções do Ku Klux Klan. Entretanto, procurou a discrição necessária para não ofender sentimentos do povo do sul. Combateu a crise económica já falada, conhecida como "O Pânico de 1873", com uma política de austeridade governamental. Reduziu a dívida pública, os gastos governamentais, os juros e a inflação. Entretanto, a sua gestão foi extremamente perturbada por parte de outros políticos. Surgiram inúmeros escândalos envolvendo dependentes de Grant, mas nenhum o envolvia pessoalmente.

Após se retirar da presidência, Grant transformou-se em sócio de uma empresa financeira, que acabou por falir devido a uma fraude cometida pelo outro sócio. Grant garantiu o sustento da família em grande parte com os direitos da publicação do seu livro de memórias.

Faleceu em Nova Iorque, a 23 de Julho de 1885, vítima de um cancro na garganta. Encontra-se sepultado no General Grant National Memorial, Manhattan, Nova Iorque nos EUA.

General Grant National Memorial


Nota: Gal. é uma abreviatura de General.

sábado, 8 de setembro de 2012

George Crook


George Crook




George Crook nasceu em 8 de Setembro de 1828 e morreu em 21 de Março de 1890. Foi um oficial do exército dos Estados Unidos da América, que se destacou na Guerra Civil Americana e nas Guerras Indígenas.

 George foi filho de Thomas e Elizabeth Matthews Crook e nasceu numa fazenda em Taylorsville.

George Crook foi eleito para um soldado na Academia Militar pelo congressista Robert Schenck e formou-se em 1852. Foi chamado ao Quarto Regimento de Infantaria com a patente de segundo tenente e serviu na Califórnia, entre 1852 e 1861. No Oregon (estado) e nordeste da Califórnia (estado), ele lutou contra muitas tribos de indígenas.


Crook foi o comandante da expedição ao Rio Pitt em 1857 e foi ferido por flechas. Ele foi o fundador do Forte Ter-Wer, conhecido agora como Forte Klamath, Califórnia. Foi promovido para primeiro-tenente em 1856 e chegou à patente capitão em 1860. Em 1861 ele passou a ser coronel enquanto comandava o trigésimo sexto regimento de infantaria dos voluntários de Ohio.

Ele foi casado com Mary Tapscott Dailey.

Quando a Guerra Civil começou, Crook assumiu o posto de coronel dos voluntários de Ohio, que combateu na Virginia Ocidental. Foi colocado a brigadeiro em 7 de setembro de 1862. Comandou a brigada de Ohio formada pelos regimentos da Divisão Kanawha que participou da Campanha de Maryland.

Crook entrou em ação nas batalhas de South Mountain e de Antietam. Nessa época ele manteve uma grande amizade com seu oficial, coronel Rutherford B. Hayes da vigésima terceira infantaria de Ohio.
General Crook comandou uma divisão da cavalaria do Exército de Cumberland na Batalha de Chickamauga e então voltou para a frente oriental como chefe da Divisão Kanawha.

Na campanha da primavera de 1864, o tenente-general Ulysses S. Grant (link a colocar) ordenou uma ofensiva da União em todas as frentes. Ulysses chamou o brigadeiro-general Crook, que estava em Charleston (Virgínia Ocidental) e mandou-o atacar a Ferrovia Virgínia-Tennessee, importante transporte dos confederados que ligava a capital confederada Richmond (Virgínia) a Knoxville (Tennessee).
Aos 35 anos de idade, Crook se apresentou ao quartel-general do exército da União em City Point, Virgínia, onde a missão foi explicada pessoalmente por Grant. Crook foi instruído a marchar com seus homens da Divisão Kanawha contra a estação de Dublin, Virginia, 140 milhas ao sul de Charleston.
Em 29 de abril de 1864, a Divisão Kanawha partiu de Charleston. George enviou uma força sob o comando do brigadeiro-general William W. Averell contra Saltville, enquanto rumava para Dublin com nove regimentos de infantaria, sete regimentos da cavalaria e 15 peças de artilharia, uma força organizada de 6.500 homens em três brigadas. Os engenheiros de Crook tiveram que construir várias pontes que permitiram o avanço das tropas.
 A coluna chegou em Fayette a 2 de maio e então atravessou Raleigh Court House e Princeton. Na noite de 8 de maio, a divisão acampou em Shannon's Bridge, Virginia, 10 milhas ao norte de Dublin.
O comandante dos confederados, coronel John McCausland percebeu o avanço inimigo e preparava-se para evacuar 1.100 homens. Antes que os transportes chegassem, porém, foi avisado pelo brigadeiro-general Albert G. Jenkins sobre a chegada dos reforços enviados pelo General John C. Breckenridge para deter o avanço de Crook. As forças combinadas de Jenkins e McCausland reuniram 2.400 homens. Jenkins assumiu o comando da operação que tentaria deter Crook.
Na manhã de 9 de maio, Crook enviou seus homens para o sul, nas montanhas Cloyd. Crook mandou a terceira brigada do coronel Carr B. White para tentar abrir um flanco de ataque aos rebeldes. No dia 11, ele enviou a primeira brigada de Hayes e a segunda brigada do coronel Horatio G. Sickel para um ataque frontal aos confederados. Os oficiais desmontaram e desceram a pé. Crook ficou com a brigada de Hayes para liderar o ataque. Depois de uma longa espera, Hayes ouviu o barulho dos canhões à esquerda e ordenou o avanço de seus homens.
Os soldados da União fizeram vários prisioneiros e o General Jenkins foi ferido. Enquanto a batalha da Montanha Cloyd ainda se desenrolava, um trem chegou à estação de Dublin e trouxe 500 soldados descansados do general da cavalaria confederada John Hunt Morgan, que tinham lutado contra Averell em Saltville. O coronel Hayes, que assumira temporariamente o comando de Crook que ficou em dificuldades, imediatamente recrudesceu o ataque aos inimigos. O General Crook chegou pouco tempo depois com o resto da divisão e os inimigos foram dobrados e fugiram. A batalha da montanha Cloyd custou à União 688 baixas, enquanto os rebeldes sofreram 538, entre mortos, feridos e capturados.
Crook instalou seu comando em Dublin, onde ele tomou posse da ferrovia e dos armazéns militares. Na manhã seguinte, os principais efetivos do seu exército rumaram para a ponte do Novo Rio.
Os confederados, agora liderados pelo coronel McCausland, esperaram do lado este do Novo Rio para defender a ponte. Crook ordenou que a ponte fosse destruída e ambos os lados assistiram a magnifica estrutura desabar nas águas do rio. McCausland então foi com seus comandados para o leste.
O general Crook enviou tropas para se juntar a Sigel no Vale de Shenandoah. Tendo completado a maior parte da missão com a destruição da ferrovia Virgínia-Tennessee, Crook voltou para a base da União em Meadow Bluff, no oeste da Virgínia.

Em agosto, Crook assumiu o comando do exército da Virgínia Ocidental. Crook liderou seus soldados na campanha de 1864 e nas batalhas de Opequon, Fisher's Hill e Cedar Creek. Em 21 de outubro de 1864, Crook foi promovido à major-general dos voluntários.
Em fevereiro de 1865, o general Crook foi capturado por cavaleiros confederados em Cumberland, Maryland e foi trocado e libertado um mês depois. Ele então assumiu o comando da divisão da cavalaria do Exército de Potomac durante a campanha de Appomattox que terminaria com o fim da Guerra Civil.


Encerrada a Guerra Civil, George Crook foi convidado ao posto de major-general no exército regular da União, mas preferiu servir como tenente-coronel no vigésimo-terceiro regimento da infantaria na fronteira noroeste da costa do Pacífico. Ali ele moveu campanhas militares contra os índios Paiute. O presidente Grant então ofereceu a Crook o comando do território do Arizona. Crook, usando batedores apaches conseguiu uma trégua com Cochise e seus guerreiros. Em 1872 o Arizona estava pacificado e Crook foi indicado para general-de-brigada do exército regular. A missão seguinte foi enfrentar os Sioux durante a "Grande Guerra Sioux de 1876-77". Ele lutou contra os Lakota na batalha de Rosebud.
Crook comandou o Departamento Indígena de Platte, de 1875 a 1882, sendo o quartel-general localizado em Forte Omaha no norte de Omaha, Nebraska.
Em 1882, Crook voltou ao Arizona. Os apaches estavam novamente em guerra contra os americanos, liderados por Geronimo. Crook forçou os guerreiros a se renderem, mas Geronimo escapou. Em sinal de respeito, os índios chamavam Crook de Nantan Lupan, que significava "Raposa Cinzenta". Nelson A. Miles substituiu Crook no comando do território e terminou a guerra Apache, enviando Geronimo, a tribo Chiricahua e os batedores apaches do exército ao exílio na Flórida. Conta-se que Crook ficou furioso com o destino dos batedores índios, enviando vários telegramas de protesto para Washington. O presidente Grover Cleveland o substituiu no comando da divisão do Missouri em 1888.
Crook passou seus últimos anos discursando contra o tratamento injusto dado a seus antigos adversários índios. Ele morreu repentinamente em Chicago. Crook foi enterrado em Oakland, Maryland, mas depois seus restos passaram para o cemitério militar de Arlington, em 11 de novembro de 1898.

Nuvem Vermelha, lider dos Sioux, disse de Crook quando ele morreu, "Até onde eu sei, ele nunca mentiu para nós. Suas palavras nos davam esperança".

Colt Buntline

Colt Buntline

Esta pistola é conhecida como a que era usada por Wyatt Earp. A opinião sobre a precisão da Colt Buntline não é comum entre todos os historiadores, mas a sua lenda é bem conhecida.

Foi Ned Buntline quem encomendou cinco Colts .45. Elas tinham cinco centímetros adicionados ao cano padrão de 7 ½ polegadas. A Colt Buntline era um revólver de acção simples semelhante a uma Colt Peacekeeper, mas com um cano de 12 polegadas que combinava a velocidade com a precisão da arma. Estas armas encomendadas por Ned Buntline foram apresentadas como presentes para os xerifes e delegados de Dodge City: Wyatt Earp, Bat Masterson, Bill Tilghman, Charlie Basset e Neil Brown em 1876. Os presentes foram dados aos homens para ajudar a acrescentar "cor" às suas histórias. De acordo com a entrevista de Stewart Lago a Wyatt Earp, a Colt Buntline era a sua arma favorita, mas, infelizmente, desapareceu.

Embora haja poucas provas que provem que Wyatt Earp recebeu ou nao uma dessas Colts Buntlines, a documentação revela que a sua arma tinha um cano excepcionalmente longo. Além disso, a Colt Buntline recebeu pedidos "especiais" no momento, e os registos da empresa nem sempre foram precisos. Os números da série de 31 quadros de Colt que poderiam ter acomodado canos maiores foram identificados. Os números de série variam entre 28.800 a 28.830. Muitos acreditam que algumas destas estruturas foram usadas para criar as Colt Buntline originais.

A biografia de Wyatt Earp escrita por Stewart Lago, lançada em 1931, fez a lenda do conhecimento da Colt Buntline. Um popular programa de televisão "The Life and Legend of Wyatt Earp", com Hugh O'Brian, apareceu em 1950. Stewart Lago foi consultor para o programa e a Colt Buntline desempenhou um papel importante. A popularidade desta série de televisão e a Colt Buntline levou a uma produção em massa da segunda geração da Colt Buntline em 1957.

Colt Buntline da segunda geração


Era muito mais facil de seguir o rasto a uma Colt Buntline da segunda geração. As palavras "Colt Buntline .45" aparecem no cano, substituindo a marca de identificação padrão "Colt Single Action Army .45". As Colt Buntline eram normalmente encontrados em azul, mas cerca de 65 foram feitos em níquel. Os números de série podem ser encontrados no cano antes do pino do cilindro. O tamanho do cano da Colt Buntline torna-a distinguível das Colt Buntline criadas por outras empresas, como a Luger. A segunda geração tinha canos de 12 ou de 16 polegadas. Cerca de 4.000 foram lançados entre 1957 e 1974.


Depois de um intervalo de dois anos na produção da Colt Buntline, a Colt introduziu a terceira geração da Buntline em 1976. A Rosca do cano da terceira geração é diferente das outras. Várias utilidades foram redesenhados e a bucha de longa metragem do cilindro foi removida. Não foram fabricados mais Colts Buntline, mas a segunda e terceira gerações podem ser encontrados, e muitos estão em bom estado.

Vê aqui o post sobre a vida e história de Wyatt Earp

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Colt Buntline do Wyatt Earp

Colt Buntline do Wyatt Earp

Esta arma pode ser ganha em Caixas revestidas a aço, Cofres vistosos, Cofres únicos ou em Cofres Premium que podes comprar na Shop por 175200500 e 1500 títulos/pepitas respectivamente. Havendo também a possibilidade de se comprar no mercado a um preço de (+/-) $250.000 

Vê aqui o post sobre a vida e história do Xerife Wyatt Earp